15 de jan de 2014

Paraná: O marketing político dos “estudos e projetos”


Os tempos do Governo do Tucano Beto Richa estão difíceis. Muitas promessas eleitorais e pouco dinheiro em caixa.
Assim, quem está trabalhado adoidado são as assessorias de comunicação das empresas, autarquias e órgãos públicos estaduais. Qualquer fio de cabelo que não gaste um Real, é notícia “fantástica” do governo e para imagem de seu chefe.
Até aí tudo bem, pois é da velha tradição política o culto a personalidade do “chefe de plantão”: No Brasil ou na Coréia do Norte, é típico de países de terceiro mundo e de baixa cultura.
Mas, aqui pelo Correio do Litoral, veículos de comunicação e nas redes sociais, recebo uma enxurrada de “boas notícias” do atual Governo do Paraná e sua equipe. 
Como já ocupei cargos públicos desde o governo de José Richa, pai do atual governador, passando por Roberto Requião e um mês com Orlando Pessuti, dispendi honrosos dez anos de minha vida como servidor e dirigente público estadual: conheço um pouco dessa máquina e seus jogos de poder.
Mas, o que me motivou a abordar o tema desta coluna hoje, são os “estudos e projetos” que nestes meses são noticiados pelo marketing político do governador.
Vejamos:
Ponte de Guaratuba – O velho sonho da ponte, que integraria de uma vez por todas Guaratuba ao Paraná, ressurgiu no meio deste ano de 2013, quando um pequeno grupo mobilizado pelas redes sociais se agigantou e saíram às ruas reivindicando. 

O que era antes um movimento estudantil, tal como as manifestações de junho pelo Brasil afora, tornou-se uma bandeira política, onde as velhas raposas embarcaram rapidinho e assumiram o lugar dos meninos e meninas. 
Afinal, político profissional “cheira” a coisa quando é séria ou não. Boas narinas e olfatos aguçados são características das raposas políticas.
O governador Beto Richa foi alertado por seus aliados políticos e.... desceu a serra. E ao bom estilo Odorico Paraguassú, “determinou” a realização de um estudo técnico, mas isto é claro, tem que antes fazer uma correta concorrência pública.  
Assim, a licitação para contratar quem vai “estudar a ponte” está em andamento. Mais um pouco de grana pra pagar a consultoria técnica já dá uma desacelerada na ira dos manifestantes e joga o pepino pra frente. 
Ora, até a vovózinha da Chapeuzinho Vermelho sabe que não tem dinheiro no caixa do Estado, e se conseguirem pagar salários e o 13º deste ano já será uma vitória. 
Não é à tôa que o ex-secretário da Fazenda Hauly pegou o boné e foi embora antes da bomba financeira explodir. Então a “bomba da ponte” está contida. Vamos pra outra!
Rodovia BR-101 no Paraná – Mais uma daquela antigas bandeiras.
A rodovia chega a Garuva-SC, e tal como um canguru australiano, dá um salto sobre o Paraná e só desce no litoral de São Paulo perto de Santos. Mas, no início do seu governo, o jovem e charmoso Beto Richa seduzia seus eleitores com mais este sonho: A BR-101 no Paraná.
A rodovia passaria ligaria Garuva a Guaratuba em outro traçado “por dentro”, passa pelos fundos da baía, sairia na BR-277 na altura do acesso a Morretes e Antonina, chegaria até o novo Porto de Antonina (projeto pra lá de antigo...) e subiria a Serra do Mar antes de Guaraqueçaba e se ligaria na BR-116 indo pra São Paulo. 
Vamos fazer o que então? – “Um rigoroso e profundo estudo técnico, econômico e ambiental”, onde o Estado do Paraná custeia estes estudos e projetos e os “doa ao governo federal”, quem efetivamente faria a obra, por ser uma rodovia federal... obviamente.
Então, mais esta pressão fica aliviada: Agora o povo fica contido, pois “estamos fazendo os estudos”. E se não sair a estrada? “A culpa é do governo federal!”... genial!
Duplicação das Estradas das Praias – Pois é, o choque de gestão chegou até a extinguir a Secretaria de Turismo do Paraná. 
Falar em caos das estradas que foram construídas na década de 1970 é até “chover no molhado”, pois a cada feriadão, a estória de repete de forma trágica pelas mortes, feridos e desilusões.
Há poucos dias, mais um anúncio do Governo do Estado: “Governador autoriza fazer novo estudo para duplicação de trechos da rodovia das Praias – PR-407”.
Manifestações populares, bloqueios de rodovias já têm sido orquestradas até por políticos de Paranaguá e lideranças populares em Pontal do Paraná. 
Novamente, a ira popular é sentida pelos olfatos aguçados das raposas políticas. A luz amarela se acende no Palácio Iguaçu e o governador “determina” estudos urgentes. A notícia disseminada por sua assessoria de imprensa e marketing políticos é de que haverá duplicação da rodovia em trechos críticos, de maior concentração urbana: Paranaguá, Praia de Leste, Ipanema e Shangri-Lá.
Ufa! Mais um “estudo e projeto” e assim o povão ficará mais um ano ‘calmo’!
Mas não nos iludamos: A chegada de megainvestimentos portuários em Pontal do Sul, só se viabilizará com um novo acesso rodoviário, prometido pelo Governador Beto Richa aos empresários, como dito em entrevistas por um deles.
Então, fico por aqui: Admirando esse mundo fantástico e repetitivo, onde os tipos “Dr. Mundinho” chegam e se reciclam pra substituírem os “Odorico Paraguassú”, com seus talentos e percepções de marketing político que continuam sendo velhos, travestidos de novo.
De “estudos e projetos” os arquivos e velhos engenheiros do DER e DNIT estão cheios, só falta o povo cansar....
É a minha opinião!
TWITTER: @daniellucio_pro