4 de fev de 2014

UFPR fará traçado da ferrovia Maracaju-Paranaguá

Publicado no site CORREIO DO LITORAL em 04/01/2014

A Universidade Federal do Paraná (UFPR) foi escolhida para fazer um anteprojeto de traçado da ferrovia entre Maracaju (MS) e o Porto de Paranaguá. 


Смесители для душа и ванны
Детские игрушки, развивающие игрыA Universidade Federal do Paraná (UFPR) foi escolhida para fazer um anteprojeto de traçado da ferrovia entre Maracaju (MS) e o Porto de Paranaguá. 
maracaju-paranagua-janeiro2014

A ferrovia terá mais de mil quilômetros e deverá facilitar e baratear o escoamento da produção agrícola da região.
 
O trabalho ficará a cargo do Instituto Tecnológico de Transportes e Infraestrutura da UFPR. O órgão foi escolhido após reuniões em Brasília (DF), que contou com a participação do senador senador Sérgio Souza, o presidente da Agência Nacional de Transportes Terrestres (ANTT), Jorge Bastos, o coordenador de projetos do ITTI, professor doutor Eduardo Ratton, o representante da Federação das Indústrias do Estado do Paraná (Fiep), Mário Stamm.
 
Segundo a assessoria de imprensa do Instituto Tecnológico, nos encontros foi abordada a necessidade e urgência da elaboração do esboço do traçado da ferrovia, que trará alterações no projeto inicial da malha viária para que as áreas legalmente protegidas, como terras indígenas e unidades de conservação, não sejam afetadas.
 
Estimativa da Universidade Federal aponta que a entrega do anteprojeto ocorrerá ainda em fevereiro de 2014, em um prazo de até 20 dias. Depois de o traçado ser concluído, a Empresa de Planejamento e Logística (EPL) estabelecerá um termo de cooperação com a UFPR para a realização dos estudos ambientais.
 
Ibama – Na quarta-feira (29), a UFPR/ITTI se reuniu com a presidência do Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Hídricos (Ibama) e representantes da Fiep, ANTT E EPL. 
 
Na reunião ficou acordado que, após a entrega do anteprojeto de traçado da ferrovia Maracaju-Paranaguá, o Ibama encaminhará o Termo de Referência para elaboração dos estudos ambientais (EIA/RIMA) no prazo de 30 dias, para que se inicie o processo de licenciamento ambiental da ferrovia.
 
Fonte: ITTI