17 de jun de 2012

Dilma Rousseff e ministros elogiando gestão do Porto de Paranaguá: Assista o vídeo

Nos anos de 2003 à 2010, muitas transformações estruturais no porto de Paranaguá. Novas vias de acesso ao entorno portuário, pavimentação em concreto de toda a faixa de cais, construção de novas instalações terrestres e principalmente, uma nova gestão portuária.

A capitalização da APPA - Administração dos Portos de Paranaguá e Antonina, que saiu de um caixa perigosamente baixo para as necessidades operacionais e de investimento, que em janeiro/03 era de cerca de R$ 49 milhões, que chegou a R$ 450 milhões em abril de 2010.

Isto tudo, já considerando e pagos os investimentos inclusive de dragagem do Canal da Galheta em 2009, com a retirada de mais de 3 milhões de metros cúbicos de sedimentos, tendo sido a maior obra naquele canal desde sua construção nos anos 70.

Neste vídeo, a então ministra e futura Presidente do Brasil Dilma Rousseff elogia a nova gestão do porto, corroborado pelo então ministro-chefe da Secretaria Especial de Portos (SEP) da Presidência da República Pedro Brito.

Esta mesma gestão eficiente foi ressaltada pelo então diretor-geral da ANTAQ - Agência Nacional de Transportes Aquaviários Fernando Fialho.

São cenas e momentos para entrarem na história do Porto de Paranaguá, cuja gestão tive a honra de participar.

Assista e compartilhe!



8 de jun de 2012

Porto de Paranaguá: O novo polo alcooleiro do Brasil

A visão estratégica do polo alcooleiro

No ano de 2007 a APPA - Administração dos Portos de Paranaguá e Antonina inaugurou o Terminal Público de Álcool, atendendo uma demanda feita desde 2003 pelo setor sucroalcooleiro do Paraná ao então governador Roberto Requião. 


Um próximo navio, que será atendido pela CPA, atraca nesta terça-feira (5) em Paranaguá. O Global Aker vai carregar 20,5 mil metros cúbicos de álcool que serão enviados para a Jamaica.
O complexo de tanques e os píeres de operações de embarque de granéis líquidos e alcoóis de Paranaguá.

Era época em que foi então constituída a Alcopar - Associação de Bioenergia do Estado do Paraná, fundada em 1981. O terminal público foi idealizado por seus sócios e em especial, pelos ex-presidentes Anísio Tormena e seu sucessor Ricardo Rezende, aos quais in memoriam, faço o registro histórico destes dois empresários paranaenses que muito fizeram para a realização deste sonho.

Após sua inauguração, vários embarques foram realizados, mas obstáculos judiciais patrocinados por terceiros interesses buscaram interromper suas operações.



Viabilização da integração dos terminais alcooleiros de Paranaguá

Em 2009, já na gestão de Daniel Lúcio O. de Souza na APPA, publicou-se uma edital de chamamento público às empresas interessadas em conectar-se com o terminal e píer público de granéis líquidos de Paranaguá.

Empresas como CPA, Cattalini e CBL aderiram ao edital e conectaram-se ao terminal e píer da APPA, passando assim a formar um conjunto (cluster) de operadores/embarcadores dos vários tipos de alcoóis (Etanol e outros produtos).

Questionamentos judiciais sobre competências dos licenciamentos ambientais tanto do terminal púbico da APPA quanto ao da CPA retardaram seus alfandegamentos e operações, que hoje foram superados pela empresa paranaense, enquanto o terminal público ainda está paralisado na sua parte interna.

Assim, Paranaguá passa a ter com o início das operações do terminal CPA, três complexos para estes produtos, somando-se os terminais da empresa Cattalini e o público da APPA.



A CPA Armazéns Gerais, terminal especializado em movimentação de inflamáveis, realizou na primeira semana de junho de 2012 sua primeira operação no Porto de Paranaguá. O navio Stolt Sapphire, que carregou cinco mil metros cúbicos de álcool, com destino ao porto de Ulsan, na Coréia do Sul, inaugurando as operações do terminal, que teve sua construção concluída no ano passado.

Para o secretário de infraestrutura e logística, José Richa Filho, o início das operações da CPA marca uma série de transformações no Porto. “Estamos trabalhando para ampliar a capacidade de movimentação dos portos em diversas frentes: granéis sólidos, líquidos, fertilizantes. E o início das operações da Companhia Paranaenses de Álcool representa uma dupla conquista: mais uma opção de operador em Paranaguá e um canal direto para a exportação do álcool paranaense, que fortalece ainda mais o nosso estado”, afirmou.

De acordo com o diretor do grupo Álcool do Paraná, Pasa e CPA, Pérsio Souza de Assis, a operação foi um sucesso. “A velocidade de embarque foi de 210 metros cúbicos por hora e tudo aconteceu sem nenhum contratempo. A operação foi ótima”, disse.

Um próximo navio operado pela CPA, que atracou após o primeiro embarque, foi o  Global Aker com uma carga estimada em 20,5 mil metros cúbicos de álcool enviados para a Jamaica. 


A CPA Armazéns Gerais, terminal especializado em movimentação de inflamáveis, realizou sua primeira operação no Porto de Paranaguá. O navio Stolt Sapphire, que carregou cinco mil metros cúbicos de álcool, com destino ao porto de Ulsan, na Coréia do Sul,  inaugurando as operações do terminal, que teve sua construção concluída no ano passado.

Para o superintendente dos portos paranaenses, Luiz Henrique Dividino, o início das operações da CPA representa mais uma etapa do projeto de expansão dos portos paranaenses. “Esta é mais uma missão determinada pelo Governador Beto Richa que estamos cumprindo”, disse. 

De acordo com Assis, a previsão da CPA é exportar por Paranaguá 400 mil metros cúbicos de álcool em 2012. “Este ano, em função da quebra as safra de cana no ano passado, não houve crescimento da produção de açúcar e de álcool. Por isso não haverá crescimento nas exportações”, avalia.

A empresa 


A CPA Trading faz parte do consórcio das usinas e cooperativas sucroalcooleiras paranaenses. Em Paranaguá, o grupo mantém o terminal de açúcar Pasa Paraná Operações Portuárias SA, o Terminal de Álcool CPA – Armazéns Gerais Ltda. e a Alcopar - Álcool do Paraná Terminal Portuario S.A, que opera no terminal público da Appa.

O terminal conta com sete tanques e tem capacidade estática para 53,2 mil metros cúbicos.  Está capacitado para receber cargas através dos modais rodoviário e ferroviário.


A CPA Armazéns Gerais, terminal especializado em movimentação de inflamáveis, realizou sua primeira operação no Porto de Paranaguá. O navio Stolt Sapphire, que carregou cinco mil metros cúbicos de álcool, com destino ao porto de Ulsan, na Coréia do Sul,  inaugurando as operações do terminal, que teve sua construção concluída no ano passado.


Fontes: Notícia publicada no site oficial da APPA, como adaptações e comentários gerais do blog.