21 de mai de 2009

Convenção Hemisférica de Proteção Ambiental Portuária: O maior evento setorial das Américas

Title: I Port Environmental Protection Hemisferic Convention website is on air.
Entrou no ar o site da 1ª Convenção Hemisférica de Proteção Ambiental Portuária (http://www.oeabrasil2009.com.br/). O evento é promovido pela Organização dos Estados Americanos (OEA) através da Comissão Interamericana de Portos (CIP) e é organizado pela Administração dos Portos de Paranaguá e Antonina (Appa), que será a anfitriã do evento.




O trabalho está sendo realizado em conjunto com a Secretaria Especial de Portos (SEP) e a Agência Nacional de Transportes Aquaviários (Antaq) que também estão participando da organização da Convenção.: a Associação Comercial e Industrial Agrícola de Paranaguá (ACIAP) e a Federação das Associações Comerciais e Empresariais do Paraná (Faciap) são parceiras da Appa no evento.
A exemplo do que aconteceu no Panamá em 2007 – quando a CIP realizou a Primeira Conferência Hemisférica de Proteção Ambiental Portuária - estarão reunidos em Foz do Iguaçu representantes de 34 países membros para discutir a proteção ambiental portuária promovendo um intercâmbio de informações sobre o tema, conscientizando o setor portuário sobre a importância da proteção ambiental como valor agregado a sua atividade.


Cidade do Panamá: sede do primeiro encontro hemisférico promovido pela OEA em 2007.

No encontro internacional, serão apresentadas as melhores práticas ambientais desenvolvidas pelos países-membros e que poderão servir de exemplo para outras nações. A intenção é promover o intercâmbio de experiências e aplicação de práticas aceitáveis.

A Administração dos Portos de Paranaguá e Antonina foi escolhida como anfitriã do evento pelo modelo de gestão ambiental portuária que adota e que irá apresentar durante o evento. “Criamos em Paranaguá o Clube de Serviços do Meio ambiente, para promover a atuação socioambiental responsável dos usuários e prestadores de serviços dos portos de Paranaguá e Antonina. O clube atende às exigências legais e mantém os portos do Paraná na vanguarda internacional das questões do meio ambiente, além de oferecer ao Brasil um novo modelo de gestão ambiental portuária. É por isso que o nosso porto foi escolhido para sediar a 1.ª Convenção Hemisférica de Proteção Ambiental Portuária e esperamos ter aqui uma ampla discussão de práticas e bons exemplos nessa área”, explica o superintendente da Appa, Daniel Lúcio Oliveira de Souza.

Usina hidrelétrica de Itaipú (Brasil/Paraguai): uma atração aos participantes da convenção da OEA
Durante a Convenção, que acontece entre os dias 21 e 24 de julho de 2009, estão programadas palestras com convidados renomados, apresentação de casos de sucesso e um simpósio acadêmico sobre gestão ambiental portuária.
Também será realizada durante a Convenção a 1.ª Feira de Produtos e Serviços dos Exportadores do Paraná, reunindo pequenos e médios empresários que assistirão palestras e painéis sobre comércio exterior, além de participar de rodadas de negócios com câmaras de comércio e consulados.



Cataratas do Iguaçú: Uma atração à parte nas 3 fronteiras (Brasil, Argentina e Paranaguai)


Fonte: ASSCOM/APPA

8 de mai de 2009

DREDGER PROCUREMENT NOTICE


REQUEST FOR TECHNICAL AND COMMERCIAL INFORMATION – RTCI

THE PARANAGUÁ AND ANTONINA PORTS ADMINISTRATION – APPA (Brazil), hereby notify is initiating a legal procedures of an international procurement for the purchase a TSHD – Trailing Suction Hopper Dredger.



The Dredge must obey the following parameters:

1. Requirements
· Dredger type: TSHD.
· Built from 2004 to 2009.
· Capacity of hopper: 4.000 to 6.000 m³.
· Twin Main engines, propellers and rudders.
· Draft: Less than 7,5 meters when loaded.
· Dredging operation trailing depth: More than 20 meters.
· Spares of all parts susceptible to wear and tear.
· Documentation: Ready to sail and sufficient to obtain Brazilian flag.

2. Recommended.
· Adjustable over-flow in the hopper.
· Bow thruster installed.
· Dynamic Positioning system on board.
· Equipment allowing operation in all conditions of visibility.


The price asked in the commercial offer must be in US$, and include delivery to the port of Paranaguá, Brazil.


In this requesting phase we are asking for technical data and a commercial offer. We intend to make a final call for prices and conditions following this initial phase.

Companies interested in making a offer must do so before June 5th,2009.

Offers must be directed to the following:

DANIEL LÚCIO OLIVEIRA DE SOUZA
Superintendent of APPA
E-mail: dragagem@appa.pr.gov.br





1 de mai de 2009

Portos de Paranaguá e Antonina adotam sistema via satélite para monitoramento de navios

Title: New satellite system to vessels traffic control in Paranagua and Antonina ports.

A contínua inserção de novas tecnologias no processo operacional portuária é uma exigência fundamental para ganhos de produtividade, eficiência e performance dos portos. Cada vez mais os portos se parecerão aos aeroportos: hora marcada para chegar e sair dos terminais, e é nesse contexto que ferramentas para gerenciamento continuado das tracações, localização das embarcações em berços, áreas de fundeio, barras e canais, são cada vez mais usadas pelas Autoridades Portuárias no mundo todo.
Um novo sistema adquirido pela Administração dos Portos de Paranaguá e Antonina - APPA permitir o monitoramento em tempo real de todo os navios que chegam e saem dos Portos de Paranaguá Antonina. Denominada “Vessel”, a nova ferramenta permite conhecer a localização exata das embarcações na área dos portos e, desta forma, garante maior segurança para os usuários dos terminais portuários.


O sistema controla a entrada e saída de navios dos portos do Paraná, Paranaguá e Antonina.

Com o sistema, é possível, por exemplo, prever acontecimentos como colisão de navios, localizar embarcações, prevenir o aparecimento de navios piratas e o deslocamento de bóias de sinalização.Segundo o superintendente da Appa, Daniel Lúcio Oliveira de Souza, o monitoramento dos navios se estenderá também ao acompanhamento da posição da draga que está operando atualmente no canal de acesso aos Portos.
“É uma nova tecnologia utilizada para o gerenciamento das operações portuárias que nos possibilita uma visão geral dos navios que entram e saem dos Portos. Além disso, permite a fiscalização remota das atividades de dragagem, pois os fiscais podem conferir pelo sistema em que área de trabalho ela está, bem como onde está ocorrendo o despejo do material dragado”, comentou.

A tecnologia permite fiscalizar à distancia, as operações de dragagem e deposição dos material dragado nas áreas préviamente autorizadas pelos órgãos ambientais e Marinha do Brasil.

O gerente de desenvolvimento e serviços da empresa SMD Marine, que desenvolveu o sistema para a Appa, Fernando Luiz Gonzalez, explicou que o monitoramento abrange toda a área portuária e alcança quase 18 quilômetros além do local onde os navios aguardam para atracar. “O sistema oferece em tempo real a localização de todas as embarcações de grande porte que estão entrando, atracando e saindo do porto.

Fernando Luiz Gonzalez, gerente da SMD Marine, proprietária do sistema "Vessel" adquirido pela APPA.


Antes esse acompanhamento era impossível, porque o Porto de Paranaguá, longe da entrada do canal de acesso”, salientou Gonzalez. O primeiro porto brasileiro a adotar sistema semelhante foi o de Santos, há quatro anos.



Os navios que operam no porto são acompanhados pela área operacional do porto via satélie.

Desde então, a Companhia Docas de São Paulo (Codesp), Marinha, Polícia Federal e a maioria dos agentes marítimos utiliza a tecnologia, formatada nos sistemas via satélite e Global Positioning System (GPS, em português, Sistema de Posicionamento Global). Criado com software nacional, o “Vessel” é, ainda, parte do sistema denominado Vessel Traffic System (VTS), exigido pela norma de segurança internacional ISPS Code.

“Os principais portos do mundo já operam ferramentas eletrônicas deste nível e até superior. O uso do VTS será o novo salto na gestão operacional que a Appa pretende alcançar”, considerou o superintendente da Appa.

Texto do autor, baseado em release da ASSCOM/APPA.